• Prev
Três Rios/RJ - A Igreja Assembleia de Deus Lírio dos Vales ...
Vassouras/RJ - A Igreja Evangélica Shekinah, comemorou, nos dias 7 à 9 ...
Três Rios/RJ - A Igreja Assembleia de Deus Plenitude, realizou no dia 30 de Junho de 2018, o ...
Três Rios/RJ - A Igreja Missão Nova Vida, realizou no dia 23 de Junho ...
Rede Vipgospel - todas logos

No meio religioso cristão uma das afirmativas que mais ouvimos é: SIM, EU AMO CRISTO. Nos evangelismos de rua quando confrontamos alguém com a Palavra de Deus e tentamos demonstrar o amor de Cristo, é quase uma unanimidade ouvirmos as pessoas afirmarem que também amam a Jesus.

No meio evangélico não poderia ser diferente, nossos cultos estão repletos de canções e pregações que nos fazem chorar, levantar as mãos e dizer: EU TE AMO JESUS. Mas quando expressamos verbalmente que amamos a Cristo, de fato estamos demonstrando um verdadeiro amor por Ele? Aquele sentimento gerado dentro de nós pelas canções cantadas no culto, e que geralmente nos fazem chorar, é realmente a maior demonstração de amor a Jesus? A resposta sempre está nas Escrituras Sagradas.

Em João 14.23 e 24 Jesus declara: “...Se alguém me ama, GUARDARÁ a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não me ama NÃO GUARDA as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas do meu Pai, que me enviou.” Com essas poucas palavras Cristo nos ensina que amor não se resume a sentimentos, mas sim em atitudes, isto é evidente no fato de sempre encontrarmos no texto sagrado o amor como um mandamento: “amais, amarais, ameis”.

Cristo manda amarmos os nossos inimigos, note que ele não diz para transformarmos o inimigo em amigo para depois amá-lo, ele simplesmente manda amar ainda na condição de inimigo. Se amor fosse sentimento esta ordem de Jesus seria inviável, pois ninguém consegue ter um sentimento amoroso por um inimigo, o que deixa evidente que Cristo trata o amor como uma verdadeira atitude. O apóstolo Paulo, escrevendo os Efésios (5.25) vai dizer aos maridos para amarem suas esposas como Cristo amou a igreja, se entregando por ela, ou seja, o amor demonstrado por atitude, a exemplo de Jesus.

Quando Jesus diz que a demonstração de amor a Ele se faz com a atitude de guardar a sua palavra ele está deixando claro que aquele que o ama de verdade não vive uma vida de pecado, pois a Palavra de Deus é uma verdadeira vacina contra o pecado, como já havia declarado o salmista: “escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Sl. 119.11). Uma pessoa que ama verdadeiramente a Cristo não demonstra isso apenas com palavras vazias, ou em 2 horas de liturgia religiosa, ou com sentimentos e lágrimas arrancadas por uma bela canção, a verdadeira demonstração de amor a Cristo é feita guardando a sua palavra e vivendo uma vida de santidade.

Jesus, ao interrogar a Pedro (Jo. 21.15-17) vai perguntar por três vezes se ele o amava. As palavras gregas, referentes a amor, utilizadas por Jesus e Pedro, revelam algo muito mais profundo do que um jogo de perguntas e respostas. Ao perguntar a Pedro se este O amava Jesus utiliza a palavra grega “agápe” (αγάπη) que se refere a um amor incondicional de total comprometimento. Mas ao responder que amava a Jesus, Pedro vai utilizar outra palavra grega, a “phílos” (φίλος), que é referente a um amor que não se compromete totalmente, talvez pelo evento da negação a Cristo, ocorrido anteriormente. Isso se repete nas duas vezes que Jesus pergunta, mas na terceira vez que Cristo questiona a Pedro se ele O amava, Ele vai trocar a palavra, não usando mais o “agápe”, de amor incondicional, mas agora, utilizando a mesma palavra usada nas duas respostas de Pedro, o “philos”, de amor não tão comprometido. Nesta hora Pedro se entristece.

Note que enquanto Jesus questiona Pedro sobre este ter um amor incondicional por Ele, Pedro sempre afirmava ter um amor por Jesus, mesmo que não fosse tão comprometido como o que Jesus perguntava, mas quando Jesus pergunta se Pedro o amava, mesmo sem tanto comprometimento, este se entristece, pois percebe que nem mesmo o amor que ele afirmava ter por Jesus, se sustentava. Ali Pedro percebe a real necessidade de amar a Cristo, não por meras palavras, mas com total atitude de entrega.

Que o nosso amor por Cristo não venha a ser resumido por sentimentos momentâneos e empolgações litúrgicas, mas que possamos demonstrar esse amor através de uma vida comprometida com a Palavra de Deus, vivendo em obediência e santidade. Hoje, a minha oração a Cristo é:

Senhor, que a minha vida diária seja um poema de amor por ti!

Rodney Souza

Visitas no Site

0011720955
HojeHoje171
OntemOntem147
Esta SemanaEsta Semana318
Este MêsEste Mês8259
Todos os diasTodos os dias11720955

Siga-nos no Facebook

Usuários Online

Temos 67 visitantes e Nenhum membro online