• Prev
Três Rios/RJ - A Igreja Assembleia de Deus Central - Ministério Três ...
Paraiba do Sul/RJ - Entre os dias 08 e 10 de setembro de 2018, a Igreja ...
Três Rios/RJ -  Com uma programação especial, louvores e ...
Três Rios/RJ - A Primeira Igreja Batista de Três Rios, promoveu dia ...
Rede Vipgospel - todas logos

Bem tenho que contar meu testemunho para as pessoas que ainda não conhecem a minha história, o que me ocorreu no ano de 2014.

Alguns que puderam me acompanhar sabem um pouco mas, resolvi resumir o que eu passei, para as pessoas que ainda não conhecem a minha história, verem que não somos nada e quando menos esperamos acontecem coisas para provar nossa Fé mas, Deus esteve comigo em todo o momento.

No dia 15/09/2014, me internei para fazer uma cirurgia para tirar uma hérnia no estômago que estava me causando muito refluxo, era uma cirurgia simples, a lazer e assim a fiz mas, quando voltei para o quarto não me sentia bem, o médico disse que estava tudo bem e que na cirurgia houve algumas complicações e o que eu sentia era reflexo da cirurgia.

No dia 17/09/2014, tive alta na parte da manhã, saí me sentindo muito cansada e fraca e meu marido me deixou na minha mãe. Tinham liberado somente líquido para eu beber mas, não conseguia beber nada, pois, estava sentindo muita falta de ar. Liguei para meu marido para que me buscasse e me levasse para casa, ele veio, e quando eu cheguei em casa não me aguentava de falta de ar. Ele, preocupado, ligou para o médico, que pediu para eu voltar ao hospital.

Assim que cheguei, constataram que eu estava com os batimentos acelerados e que tinha líquido no meu pulmão, na mesma hora me encaminharam para o centro cirúrgico e colocaram um dreno em meu pulmão. O médico que havia feito a cirurgia, disse que na hora havia perfurado meu estômago, esôfago e a pleura do meu pulmão mas, que iriam cicatrizar sozinhos.

Não era isso que estava acontecendo, saía muito líquido do dreno e no dia seguinte acharam melhor eu ir para o CTI, foi então que tudo começou, eu só piorava, os médicos não tinham muito o que fazer. Minha amiga Patrícia, que trabalha no hospital, informou ao meu marido que meu caso estava muito grave e seria melhor me transferir de hospital.

Foi muito difícil encontrar uma vaga em outro hospital mas, conseguiram uma no Hospital Nortecor no Rio de Janeiro. Correram para conseguir uma UTI móvel, porque no estado em que eu estava tinha que sair dali no mesmo estado em que eu entrei no CTI. Conseguiram que eu saísse no dia 21/09/2014, às 22 horas da noite e graças à Deus cheguei no Rio estável.

Já no hospital do Rio, analisaram meu caso e conseguiram um cirurgião de tórax que disse ao meu marido que teria que abrir minha barriga toda para saber onde eram as perfurações e assim foi eu para mais uma cirurgia que começou às 19 horas da noite e só terminou às 02 horas e 30 minutos da madrugada.

Todos, estavam ansiosos para saber como foi a cirurgia e o médico veio falar com meu marido que realmente foi uma cirurgia muito grave e que ele me abriu e tinha muita secreção e uma perfuração no meu estômago, esôfago e na pleura do pulmão, e ele teve que suturar, lavar todo meu abdômen e colocar três drenos para tirar as secreções, meu estado era grave mas, por eu ser jovem, estava reagindo bem até o momento.

Assim, segui por vários dias entubada mas, reagindo bem aos medicamentos. Eles chamaram meu marido e informaram que como já havia algumas semanas que eu estava entubada, teria que fazer uma traqueostomia em mim para que eu pudesse respirar fora dos aparelhos. Ficava a maior parte dopada e toda vez que eu recebia visitas, era uma felicidade dentro de mim mas, não conseguia reagir bem e assim fiquei um mês internada naquele CTI.

Todos os médicos falavam que era um milagre eu estar reagindo tão bem depois de tanta infecção. No dia 24/10/2014, me liberaram para ir para o quarto, nossa, aquele dia eu fiquei em uma felicidade tão grande de poder ter meu marido por perto e poder ver minha família sem a correria do CTI, porém, por ter ficado muito tempo no CTI, perdi a mobilidade da mão esquerda e não conseguia andar. Os fisioterapeutas foram maravilhosos pois, todo dia insistiam para que eu me esforçasse.

Já não aguentava mais fazer aspiração na traqueo e depois de algumas semanas conseguiram tirar a traqueo de mim e comecei a falar bem pouco e baixinho mas, já foi mais uma vitória e para minha felicidade e da minha família no dia 18/11/2014 tive alta do Hospital.

Eu Havia passado por tudo aquilo mas, Deus estava comigo e vim para casa para a Glória de Deus. Tive que fazer fisioterapia para começar a andar e para mexer a mão mas, o mais importante foi Deus que me deu uma nova vida.

Sempre agradeci à Deus por tudo o que Ele me deu mas, agora tenho mais motivos para agradecer a Ele que me deu a oportunidade de ver meu filho crescer e estar ao lado da minha família linda e ver que enquanto eu estava passando por tudo aquilo eu tive sim amigos que não deixavam em nenhum momento, de estar ao meu lado.

Agradeço à todos que estiveram orando por mim quando eu estava passando por este momento difícil, até mesmo os que nem me conheciam vou ser eternamente agradecida.
Deus te da uma nova oportunidade todos os dias basta vc saber aproveitar ela da melhor forma possível.

OBRIGADA DEUS!

Elisangela Santana Barbosa

Visitas no Site

0011745150
HojeHoje82
OntemOntem397
Esta SemanaEsta Semana479
Este MêsEste Mês7949
Todos os diasTodos os dias11745150

Siga-nos no Facebook

Usuários Online

Temos 141 visitantes e Nenhum membro online

01 de Setembro
"Quem ama o ...
05 de Outubro de
"Toda a Escritura ...
06 de Agosto de
"Vai ter com a ...
06 de Julho de
"E o testemunho ...
07 de Agosto de
"Vinde a mim, todos ...