montanhas

O que mais pode estar atrapalhando a sua fé ou impedindo você de ver milagres acontecendo?

“Eu lhes asseguro que se alguém disser a este monte: ‘Levante-se e atire-se no mar’, e não duvidar em seu coração, mas crer que acontecerá o que diz, assim lhe será feito.” (Marcos 11.23)

Na Bíblia, há dois textos paralelos a esse: (Mateus 17.20) e (Lucas 17.5-6)

Esses textos bíblicos foram resumidos por uma frase pequenininha, mas poderosa: “a fé move montanhas”. Veja aqui mais um texto relacionado:

“Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei.” (1 Coríntios 13.2)

Quando a Bíblia lança essa ideia de “mover montanhas” por causa da fé, o que realmente ela realmente quer dizer? Que montanhas são essas? Vamos ao contexto. E se você tiver um tempinho, leia ou ouça o capítulo 11 inteiro para entender melhor.

Eu resumi aqui pra você:

Quando Jesus estava falando aos seus discípulos, eles estavam no monte das Oliveiras, com vista para o mar Morto e o tema principal era a fé. Os discípulos estavam vendo as obras grandiosas que Jesus realizava e eles ansiavam fazer o mesmo. Então, Jesus deu instruções para eles.

Vamos analisar:

Um dia antes, Jesus pediu um jumentinho e entrou em Jerusalém, evento que chamamos de “entrada triunfal”. No dia seguinte, Ele amaldiçoou a figueira porque ela não dava frutos. Perceba que cada ação tem o seu significado simbólico. O que aconteceu em seguida? Jesus entrou no Templo e protestou quando viu aquele comércio dentro do que eles conheciam como “a casa de Deus”, ocasião em que ele disse:

“Não está escrito: A minha casa será chamada por todas as nações casa de oração? Mas vós a tendes feito covil de ladrões.” (Marcos 11.17)

Jesus apresentava uma doutrina diferente, então seus ensinamentos estavam abrindo os olhos do povo. Isso fez com que os “mestres da lei” o perseguissem até a morte.

O que podemos extrair do texto até aqui?

Primeiro – Na entrada triunfal, Jesus cumpre o que está escrito em Zacarias 9.9: “Alegre-se muito, cidade de Sião! Exulte, Jerusalém! Eis que o seu rei vem a você, justo e vitorioso, humilde e montado num jumento, um jumentinho, cria de jumenta”. Ali Jesus declarou ser o Messias.

Segundo – Quando Ele amaldiçoa a figueira, Ele aponta para Israel que estava mergulhada em sua religiosidade e não dava frutos, pelo contrário, os escribas, mestres da lei, sacerdotes, fariseus e saduceus, estavam explorando o povo e praticando o que desagradava a Deus. Eles estavam tão cegos que não enxergaram o Messias.

Veja o que diz a Bíblia sobre isso:

“Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam.” (João 1.10-11)

Terceiro – Quando Jesus entrou no Templo derrubando tudo e expulsando os comerciantes, Ele estava dizendo que ali deveria ser um local de adoração e não de exploração. E até naquele momento os judeus o questionaram:

“Que sinal miraculoso o senhor pode mostrar-nos como prova da sua autoridade para fazer tudo isso?”

E foi quando Jesus disse a eles: “Destruam este templo, e eu o levantarei em três dias”. (João 2.18-20)

E eles ficaram ali questionando como Jesus levantaria um Templo que levou 46 anos para ser edificado em apenas 3 dias. Hoje, sabemos que Jesus estava falando do “templo espiritual” e se referia à sua própria ressurreição.

Resumindo, esse é o contexto do livro de Marcos. Como devemos então interpretar as palavras de Jesus? Que “monte” é esse que pode ser lançado no mar através da fé? Entenda os simbolismos e as metáforas. Jesus não está falando de nenhuma montanha real, mas de algo tão grande que era capaz de ofuscar a fé daqueles judeus. O que impedia os discípulos de realizar os milagres que Jesus realizava na frente deles? Falta de fé. E o que é falta de fé? Incredulidade.

Jesus entrou em Jerusalém montado num jumentinho, cumprindo uma palavra do Antigo Testamento, e os judeus não acreditaram. Depois disso, Jesus amaldiçoou uma figueira e ela realmente secou fisicamente, mas por trás dessa ação, havia um simbolismo que apontava para o povo de Israel, mostrando que não estava frutificando espiritualmente e houve uma consequência para a incredulidade daquele povo.E, por último, Jesus expulsou os comerciantes do Templo, mostrando que aquela geração estava fazendo tudo errado. Eles eram mais religiosos do que espirituais, e isso estava afastando eles de Deus, comprometendo a fé deles, incluindo os discípulos.

O que tem atrapalhado a sua fé? Qual é a montanha que tem impedido você de seguir em frente? A falta de visão de que Jesus é realmente o filho de Deus e o Salvador? Ou você tem se sentido uma árvore sem frutos?

Veja o que diz a Bíblia sobre isso:

“Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome.” (João 15.16)

Quer dizer que não basta pedir algo a Deus, primeiro temos que dar frutos, ou seja, oferecer às pessoas ao nosso redor, algo que as alimente espiritualmente. E do que precisamos para dar frutos, temos que estar em Cristo e depender Dele, como o ramo depende da videira. Assim, a nossa vontade será a vontade de Deus. Quando pedimos e não somos atendidos, quer dizer que queremos algo que não está dentro dos planos Dele.

O que mais pode estar atrapalhando a sua fé ou impedindo você de ver milagres acontecendo? Será que a sua espiritualidade virou religião? Será que no seu contexto, o templo virou comércio e covil de ladrões? De acordo com o texto de Marcos, quando Jesus disse aos discípulos que eles poderiam mover as montanhas que impediam a fé de avançar e crescer, esses eram os montes que atravessam seus caminhos.

As montanhas foram usadas simbolicamente por Jesus para descrever forças poderosas, barreiras que parecem intransponíveis. Quando você olha para frente e vê uma montanha, você pode pensar que será impossível passar por aquele caminho. Então, vem Jesus e lhe diz (no espiritual): “ordena a essa montanha que se lance no mar”.

Que mar é esse? Que seja seja o mar do esquecimento, onde você lança a sua incredulidade e não se lembra mais que um dia duvidou do seu poder de crescer e vencer os obstáculos. Esse poder se chama fé.

E nesse estudo ainda cabe uma observação. Quando Jesus fez a figueira secar, não quer dizer que ele matou a raiz. Veja como está a figueira hoje, que é a nação de Israel, o povo de Deus. Deus fez a figueira secar durante um tempo, para disciplinar e ensinar. Mas a Bíblia diz que a figueira iria se renovar e começar a brotar, e isso seria um sinal de que Jesus estaria às portas (Mateus 24.32-35).

Sendo assim, receba essa palavra hoje como uma oportunidade de remover as montanhas do seu caminho, para você avançar na sua fé, de forma que ela seja inabalável.

Estude a Bíblia no Telegram

No grupo de estudos Bíblia Investigada você poderá tirar muitas dúvidas sobre vários textos bíblicos. A proposta de trabalho está baseada no jornalismo, sempre em busca de compreensão das Escrituras através de pesquisas e reportagens que incluem expressões idiomáticas, costumes judaicos e cultura dos povos antigos.

Aqueles textos que parecem confusos ou que são usados de forma inadequada podem ganhar um novo sentido e mudar nossas vidas de maneira muito positiva. A Bíblia é incrível! Quanto mais nos aprofundamos em seus ensinamentos, mais nos transformamos e caminhamos em direção ao Criador.

Se você quer fazer parte desse grupo, acesse gospelpri.me/biblia-investigada. Acompanhe a página Bíblia Investigada no Facebook acessando facebook.com/groups/apocalipsehoje/

Por Cris Beloni: Jornalista e pesquisadora apaixonada pela Bíblia. Desenvolveu um trabalho de "Jornalismo Investigativo Bíblico", é autora dos livros Derrubando Mitos e Apocalipse Investigado. Seus temas envolvem missões transculturais, Igreja Perseguida, teorias científicas, escatologia e análises de textos bíblicos.

 

Fonte: Gospel Prime