Rede Vipgospel - todas logos
VIP JOVEM (Santidade, Relacionamento, Guia Profissional e Drogas)
  • Prev
É normal de vez em quando sentir aquela preguiça de se ajoelhar e orar, né? Ou ...
Eu lembro que quando criança via meus pais se abraçando, elogiando um ao outro, ...
A administração financeira serve para manusear da melhor forma os recursos ...
O que fazer com ela? Não é novidade que infortúnios acontecem. Talvez ...

Sob o comando do ministro Paulo Guedes (Economia), as contas do governo federal encerraram 2019 com um rombo de R$ 95 bilhões. Foi o sexto ano seguido de deficit primário.

O resultado é melhor do que o registrado em 2018, quando o saldo ficou negativo em R$ 120 bilhões, e, apesar de estar longe da promessa de Guedes de zerar o deficit no primeiro ano do governo Jair Bolsonaro, é o melhor resultado desde 2014.

Os números divulgados nesta quarta-feira (29) incluem as contas do Tesouro Nacional, da Previdência Social e do Banco Central.

Em outubro de 2018, após a eleição de Bolsonaro, Guedes disse, inicialmente, que seria factível zerar o deficit fiscal no primeiro ano de governo.

Em janeiro do ano passado, logo após assumir o comando do Ministério da Economia, ele foi taxativo, em entrevista à Bloomberg, ao afirmar que o rombo seria zerado em 2019 como resultado da reforma da Previdência, de privatizações e leilões de petróleo.

Ao longo do ano, o discurso mudou. O ministro passou a dizer que era preferível compartilhar recursos federais com estados e municípios e, como consequência, demorar um pouco mais para atingir esse objetivo nas contas públicas.

Embora a promessa não tenha sido cumprida, a União encerrou o ano com folga em relação à meta estabelecida para o ano passado, de deficit de R$ 139 bilhões.

Com informações de pleno.news

Visitas no Site

0012348271
HojeHoje754
OntemOntem836
Esta SemanaEsta Semana650
Este MêsEste Mês21280
Todos os diasTodos os dias12348271

Who's Online

Temos 164 visitantes e Nenhum membro online