religiosidade

Existem dois extremos prejudiciais na caminhada cristã: a religiosidade e a libertinagem.

Para falar sobre o assunto, o pastor Douglas Gonçalves, do canal JesusCopy, usou o exemplo bíblico de Zaqueu, um cobrador de impostos que recebeu a visita de Jesus Cristo em sua casa após um ato de fé.

Douglas esclarece que a religiosidade acredita que as obras salvam, enquanto a libertinagem acredita que a graça é barata. No entanto, nenhuma destas visões está correta.

“A religiosidade não quer que Jesus entre na casa do maior pecador da região. Mas a libertinagem diz que ele não precisa mudar nada”, observa. “Nem religiosidade, nem libertinagem, nós queremos o Evangelho”.

VEJA O VÍDEO CLICANDO AQUI

 

Fonte: Guiame